NOTÍCIAS

Conselheiro eleito da FUNCEF participa do lançamento da campanha “Menos Metas, Mais Saúde”

27 de Agosto de 2021

Conselheiro eleito da FUNCEF participa do lançamento da campanha “Menos Metas, Mais Saúde”

 Valter San Martin Ribeiro acompanhou live promovida pelo SEEB/SP e FETEC/SP sobre saúde no trabalho.


Na noite de ontem (25), o conselheiro fiscal suplente eleito da FUNCEF, Valter San Martin Ribeiro, acompanhou o lançamento da campanha “Menos metas, mais saúde”, de conscientização e reivindicação por saúde no ambiente de trabalho, promovida pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região – SEEB/SP, do qual é diretor, e pela Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito de São Paulo - Fetec-CUT/SP.

 cerimônia virtual contou com as presenças das presidentas e dos secretários de Saúde das duas entidades, Ivone SilvaAline MolinaCarlos Damarindo e Rosângela Silva Lorenzetti, respectivamente, que apoiaram fortemente a eleição da Chapa 1 – A FUNCEF É DOS PARTICIPANTES nas eleições para os Conselhos Deliberativo e Fiscal da Fundação.

 Por entenderem ser urgente focar a atenção na saúde física e mental da categoria bancária, diante do adoecimento agravado com a pandemia, as duas entidades lançaram a campanha com objetivo de conscientizá-la acerca de seus direitos trabalhistas, cobrar bancos e gestores acerca das denúncias de assédio moral e formar uma rede de apoio e acolhimento com a unificação do coletivo.  

 “É importante reforçarmos aos colegas bancários e bancárias que a única saída para esses problemas é coletiva”, afirma Valter, que já participou de outras edições da campanha (vide imagem).

 Os bancários são frequentemente submetidos a um ambiente de pressão e cobranças excessivas e os transtornos psicológicos já ultrapassaram as Ler/Dort como principal causa de afastamentos das atividades laborais na categoria, advertiu Ivone.

 Aline ressaltou que os impactos da falta de controle da atual crise sanitária no ambiente de trabalho são fatores agravantes deste problema.

 Antes da pandemia, o Brasil já ocupava liderava os rankings dos países mais deprimidos da América Latina e o mais ansioso do mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde - OMS.

 “Vendemos nossa força de trabalho, não a nossa saúde

 Damarindo, declarou que o bancário não é máquina, mas possui limites, muitas vezes, ignorados pela Direção do banco: “o bancário nunca deve ocultar sua condição de saúde para continuar trabalhando. Nossa Convenção Coletiva de Trabalho assegura direitos aos trabalhadores adoecidos, que podem contar conosco. Parar e cuidar da nossa saúde mental não é fracasso, é autocuidado. Vendemos nossa força de trabalho, não a nossa saúde”.

 Para orientações no Sindicato, mande mensagem pelo WhatsApp da entidade: 99930 – 8483

 

Conheça mais sobre a campanha: https://materiais.spbancarios.com.br/menos-metas-mais-saude